June 23, 2024

A crise nos bancos tradicionais tem causado impacto nas stablecoins, mas o Bitcoin tem se beneficiado dessa situação. Após uma queda para US$ 20.000, o Bitcoin teve um aumento de 10% e agora está sendo negociado por US$ 22.000 nas principais corretoras.

Recentemente, o governo dos Estados Unidos fechou o Signature Bank, citando “risco sistêmico”. No entanto, duas grandes empresas do mercado de criptomoedas assumiram exposição a esse banco, com valores superiores a R$ 1 bilhão cada uma.

A primeira empresa é a Coinbase, a maior corretora de criptomoedas dos EUA e a segunda maior do mundo. Em um comunicado, a Coinbase afirmou que possui US$ 240 milhões (R$ 1,26 bilhão) depositados no Signature Bank.

A Coinbase declarou: “No fechamento dos negócios na sexta-feira, 10 de março, a Coinbase tinha um saldo de aproximadamente US$ 240 milhões em caixa corporativo no Signature. Conforme declarado pelo FDIC, esperamos recuperar totalmente esses fundos.”

É importante destacar que a Coinbase também possui conexão com a USD Coin (USDC), uma stablecoin que perdeu sua paridade com o dólar devido ao colapso de outro banco americano, o Silicon Valley Bank (SVB).

A segunda empresa afetada pelo fechamento do Signature Bank é a Paxos, responsável pelas stablecoins Binance USD (BUSD) e Pax Dollar (USDP). De acordo com o comunicado oficial, a Paxos tinha exposição de US$ 250 milhões (R$ 1,31 bilhão) no Signature Bank.

A Paxos afirmou: “Atualmente, a Paxos detém US$ 250 milhões no Signature Bank e possui seguro de depósito privado bem acima de nosso saldo de caixa e limites do FDIC por conta. Buscar seguro de depósito privado faz parte de nossa abordagem conservadora para gerenciar ativos de clientes que excedem os limites do seguro do FDIC.”

Enquanto isso, as stablecoins têm operado no limite. A USD Coin (USDC) chegou a ser negociada por menos de US$ 0,90, e as stablecoins emitidas pela Paxos também tiveram quedas, embora menos acentuadas.

A Binance USD (BUSD) registrou uma mínima de US$ 0,995 na sexta-feira (10), mas se recuperou à medida que os investidores buscavam alternativas à USDC. Já a Pax Dollar (USDP), também emitida pela Paxos, teve uma queda maior, chegando a ser negociada a US$ 0,97 durante o final de semana.

Embora as stablecoins tenham sido afetadas pela crise nos bancos tradicionais, o Bitcoin tem se fortalecido. Após a queda para US$ 20.000, o ativo valorizou-se em 10% e está sendo negociado por US$ 22.000 nas principais corretoras.

As empresas afetadas pelo fechamento do Signature Bank esperam que o governo resgate o banco e processe os pedidos de saques de todos os clientes, conforme mencionado anteriormente. Isso também se aplica ao fechamento do Silicon Valley Bank (SVB), que afetou a stablecoin USDC.

Por outro lado, a Paxos demonstrou uma abordagem mais resiliente diante dos riscos, ao possuir um seguro privado que não depende apenas da boa vontade do governo para proteger seus ativos.

Dessa forma, parece indicativo de que nenhuma dessas duas grandes empresas do mercado de criptomoedas será afetada pela quebra no setor bancário. No entanto, os investidores permanecem cautelosos em relação à exposição das corretoras aos bancos e continuam buscando converter suas economias em moedas descentralizadas, como o Bitcoin.

A crise enfrentada pelas stablecoins devido aos problemas nos bancos tradicionais tem impulsionado o interesse pelo Bitcoin, que se estabeleceu como uma alternativa confiável e resistente a essas turbulências. Enquanto as stablecoins lutam para manter sua estabilidade de valor, o Bitcoin tem sido visto como um refúgio seguro e uma reserva de valor.

A valorização recente do Bitcoin, passando de US$ 20.000 para US$ 22.000, mesmo em meio a desafios no setor financeiro, mostra a confiança dos investidores nessa criptomoeda líder. Sua natureza descentralizada, a oferta limitada e a crescente aceitação em várias indústrias têm fortalecido sua posição como uma moeda digital resiliente.

No entanto, é importante observar que as oscilações de preço do Bitcoin e de outras criptomoedas são comuns e podem ser influenciadas por uma série de fatores, incluindo o sentimento do mercado, notícias econômicas e regulatórias, bem como a demanda dos investidores. Portanto, é essencial que os investidores realizem pesquisas cuidadosas, considerem seu próprio perfil de risco e consultem profissionais financeiros antes de tomar decisões de investimento.

À medida que a tecnologia blockchain continua a se desenvolver e ganhar adoção em todo o mundo, é provável que surjam mais desafios e oportunidades para as criptomoedas e as empresas do setor. A relação entre as criptomoedas e os bancos tradicionais ainda está se moldando, e eventos como a quebra do Signature Bank e do Silicon Valley Bank certamente terão implicações significativas.

No entanto, é encorajador ver empresas como a Coinbase e a Paxos adotando medidas para mitigar os riscos e buscar soluções independentes, como seguros privados, a fim de proteger os ativos de seus clientes. Essa abordagem mostra um amadurecimento do setor e uma maior compreensão dos desafios envolvidos.

Em resumo, a crise enfrentada pelas stablecoins devido à quebra de bancos tradicionais tem impulsionado o interesse pelo Bitcoin como uma alternativa confiável e resiliente. Embora empresas como a Coinbase e a Paxos tenham sido afetadas, suas medidas de mitigação de riscos e busca por soluções independentes fornecem alguma segurança aos investidores. No entanto, é importante permanecer atento às oscilações do mercado e fazer uma análise criteriosa antes de tomar decisões de investimento no setor das criptomoedas.

Copyright © All rights reserved. | BroadNews by AF themes.